Curitiba: 41 3322-5885 | Canoas: 51 3286-0019 | Salvador: 71 3342-0867
Terceirizar não é lucrativo

As empresas de terceirização ganharam espaço nos condomínios da capital com o apelo de economia para os moradores. Esse argumento sempre foi duvidoso, pois funcionários trabalhando uma média de 12 horas por dia merecem remuneração equivalente e, se tivessem todos os seus direitos e garantias respeitados, o gasto seria maior. Como, então, poderiam representar economia?

Para resolver essa questão e comprovar que não existe uma fórmula mágica para economizar nós, do Sindifícios, realizamos uma pesquisa entre diversas empresas de terceirização, simulando a necessidade de contratação de três funcionários para portaria durante 24 horas, com ensino médio completo e experiência, e traçamos um paralelo comparando os custos da contratação de mão de obra própria e de uma empresa terceirizada. O resultado comprovou o que o Sindicato já dizia: a terceirização também não é economicamente a melhor alternativa.

Para realizar o levantamento, o Sindifícios pesquisou empresas que mais parecem de “fachada”, oferecendo os três funcionários por uma média de R$ 4.200,00 ao mês. Ao apurar essas empresas, para o valor ser abaixo da média do mercado, a maioria não recolhe INSS, FGTS, não oferece benefícios aos empregados, enfim, explora a mão de obra.

Com empresas mais tradicionais, que recolhem o INSS, oferecem cesta básica, condução, vale refeição e registram o trabalhador, o custo para o condomínio dos três funcionários gira entre R$ 5.900,00 e R$ 6.200,00. Contudo, essa diferença não é repassada ao trabalhador e ele, quando se desliga da empresa, muitas vezes descobre que o dinheiro ficava com os donos da terceirizada.

Por fim, a contratação legal de quatro funcionários próprios do condomínio (ou seja, um funcionário a mais, porque a carga horária deles é menor), com todos os recolhimentos e benefícios, gira em torno de R$ 5.200,00. Uma economia que chega a R$ 1.000,00 para ter funcionários contratados e satisfeitos.

Sabemos que muitos síndicos são seduzidos pelos apelos das propagandas de empresas de terceirização e é crescente o número de prédios que terceirizam, se arrependem e depois voltam a contratar seus funcionários.

Para os que dizem que terceirizar a mão de obra em um edifício é inevitável, então que ela seja feita com regras, porque até hoje ela só tem precarizado a relação de trabalho nos condomínios.

Ao nosso entendimento, vemos que existe apenas uma maneira para a terceirização dar certo em nossa categoria: seguindo nossa Convenção Coletiva, pois foram gastos anos de trabalho e dedicação para conquistar as cláusulas existentes hoje em nossa Convenção, e não podemos permitir que de uma hora para outra a terceirização jogue fora nossas garantias e trate o trabalhador como escravo.

Terceirizando, a vida dos condôminos é exposta; com funcionários próprios, o vínculo e o relacionamento diário geram aos moradores a segurança e o bem estar que todos buscam quando optam pela vida em condomínio.

Fonte: Folha do Condomínio

Por: Paulo Ferrari, presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Edifícios de São Paulo (Sindifícios) 

Portal Curitiba

Endereço: Rua Riachuelo, 31, Cj 1201, Centro - CEP: 80020-250

Tel/Fax: (41) 3322-5885

E-mail: contato@portalcobrancas.com.br


Portal Canoas

Endereço: Rua Domingos Martins, 261, Sala 202, Centro - Canoas - RS

Tel/Fax: (51) 3286-0019

E-mail: contato@portalcobrancas.com.br

Portal Salvador

Endereço: Rua Alceu Amoroso Lima, 470, 11º andar, conj. 1106. CEP: 41820-770

Tel/Fax: (71) 3342-0867

E-mail: contatosalvador@portalcobrancas.com.br

Desenvolvido por Seens Tecnologia da Informação